Muito prazer, Marketing Digital!

Marketing Digital

Hoje se fala muito em Marketing Digital, a maioria das Empresas conhecem o termo, mas não entendem do que se trata. Claro, nem tem a obrigação de entender, afinal isso é uma responsabilidade da Agência que contratou ou do departamento de Marketing, não é? No entanto para não ficarem refém da falta de conhecimento e colocarem em “Xeque-mate” o comercial de sua empresa precisam se atualizar sobre o assunto.

Antes mesmo de falarmos sobre o Marketing Digital Moderno, é preciso entender um pouco sobre sua história e como esse assunto foi evoluindo até os dias de hoje. O ambiente digital é diferente do físico e por isso o consumidor mudou a forma de consumir os produtos ou serviços. O dinheiro está circulando muito mais no mundo virtual hoje do que a anos atrás. Entender esse novo ambiente e o consumidor, pode ser a chave do sucesso para alcançar seus objetivos e metas na internet.

Muito prazer, Marketing Digital!

Após conhecer e analisar algumas das inúmeras ferramentas que o Marketing Tradicional é capaz de proporcionar para chegar ao objetivo final, alguns especialistas acreditam que para fazer um futuro melhor só é possível se for capaz de entender seu passado.

Antes mesmo de falar de internet como um fenômeno que é hoje de compra, venda e relacionamento, volte há alguns anos e analise por qual motivo os usuários tinham medo da internet. Qual foi o estágio para superar esse medo? Após que fenômeno, se é que existiu um, os consumidores começaram a lançar-se no mundo da internet, compartilhando as informações pessoais, números sigilosos, senhas e outros dados em sites que nem eram tão confiáveis.

No fim dos anos 90 aconteceu um fenômeno denominado “explosão da bolha”. No fim dos anos 90, as ações das empresas “Ponto-Com” atingiram picos de faturamento e eram exageradamente avaliadas em termos de investimento. Apesar de não gerarem lucros no presente, seu valor baseava-se muito mais no que poderiam gerar de lucro. Isso se chama ESPECULAÇÃO.

No Brasil, algumas dessas empresas chegaram a atingir uma valorização de 300% em um único mês. Todo esse otimismo era por conta daqueles que acreditavam que o que acontecia nos Estados Unidos (como a AOL… quem não teve um e-mail AOL não é? a Amazon e o Yahoo!) poderia acontecer aqui no Brasil. Aqui isso se chama ESPERANÇA.

Em 1995, com o IPO (Oferta inicial pública no mercado de ações) da Netscape, a bolha “oficialmente” teve início. Outras empresas se seguiram a ela e foi criada uma Bolsa de Valores especial para o ramo, a NASDAQ.

Muitas dessas empresas tinham modelos de negócios falhos, ou seja, empresa sem possibilidade real de lucro recebendo aportes milionários de capital, gerando uma supervalorização das empresas “Ponto-Com”, onde em maio de 2001 a “bolha” estourou e começou uma onda de péssimos resultados no valor das ações. Algumas empresas perderam mais de 90% do valor, os prejuízos chegaram à casa dos trilhões de dólares, empresas fechando suas portas e as empresas “Ponto-Com” associadas ao medo, crise, demissão e falta de bom senso.

Para aquelas empresas cujos modelos de negócio eram bem estruturados, sobreviveram e estão até hoje atuantes no mercado mundial, como por exemplo a Yahoo, amazona, Google e outras.

Claro que muita coisa mudou, e muda até hoje, imagine quanto medo e pavor que o “estouro da bolha” causou em alguns renomados empresários, lá fora e aqui no Brasil, e até hoje algumas dessas pessoas têm dificuldades de ver que a internet não é mais só sites, pop-up, banners animados e e-mails marketing, simplesmente não conseguem enxergar que o PENSAMENTO mudou, o usuário e a velocidade com que se transita as informações evoluíram de forma drástica mas benéfica.

Para se ter uma ideia, se compararmos o Brasil aos Estados Unidos, podemos afirmar que o Brasil está engatinhando sob o aspecto de investimentos publicitários na web em relação até a outros países, mas essa história já está mudando e isso dá-se ao novo pensamento que vem brotando na cabeça dos novos empresários e agências de publicidade do país.

Falando em agências de publicidades, essas sim, quando seus pensamentos e esforços passarem a ter tanta importância para o Marketing Digital como para as mídias Off line, esforços de verdade, não apenas um FanPage (página empresarial do Facebook) com lindas fotos, ou um blog com um background bonito, quando esses pensamentos estiverem em seus DNA´S e nos seus planejamentos diários, as empresas que foram atendidas por ela, sairão na frente de seus concorrentes. Isso já está acontecendo, algumas empresas surgiram com o foco totalmente no Marketing Digital, agora basta o mercado aceitar esse novo tipo de serviço e essas empresas se posicionarem como prestadores e entendedoras do assunto.

As Tecnologias do Ambiente Digital

Com tantas tecnologias disponíveis no mercado, fica visível que essas têm se tornado quase partes do corpo do ser humano moderno, estendendo os sentidos humanos como jamais imaginaríamos. Quem em um passado distante seria capaz de imaginar que duas pessoas poderiam conversar a 1.000 km de distância perfeitamente ou se ver com total clareza em dois cantos diferentes do mundo. Essas novas tecnologias estão influenciando as vidas sociais, profissionais, pessoais e afetando o modo como é adquirido cultura, conhecimento e a relação com empresas e com pessoas. Hoje temos muito mais o controle nas mãos do que antes. Se analisarmos que na década de 70 o “poder” era um controle remoto nas mãos, a possibilidade de escolher o meu programa de tv, sentado, sem o menor esforço de se levantar para trocar o canal da televisão preferido. A possibilidade de escolha nas mãos… isso não é fantástico? Nos dias de hoje, esse mesmo conceito de tecnologia proporciona essa escolha instantânea, prática e rápida, chegando na forma de computadores, celulares, tablets, impressoras, smart tv, GPS e outros.

Por causa dessas novas tecnologias que o mundo passou por um avanço magnífico, ocorrendo assim uma mudança de “estar conectado” e “ser conectado”.

“Estar conectado” significa que você eventualmente entre e sai da internet, como era na época das conexões discadas à rede (década de 90), quem não se lembra daquele barulhinho de conexão que seu modem fazia, lembra?
“Ser conectado” significa que você faz parte da rede, você vive uma simbiose com ela.

O maior motivo para “ser conectado”, foi o avanço tecnológico da internet somado ao seu barateamento. Com uma concorrência cada vez maior, as empresas foram obrigadas a baratear seus serviços e oferecer mais benefícios para seus consumidores e quem saiu ganhando nessa disputa por uma internet melhor e mais rápida foram os consumidores, no caso, você.

Surge então o NOVO CONSUMIDOR

O novo consumidor mudou o modo de se consumir produtos ou serviços na internet. Percebe-se que ele agora é o centro das atenções do Marketing Digital e que ele é extremamente participativo quando o assunto é conteúdo. Mas quem é esse novo consumidor? O que esperar dele? E como sua empresa pode se preparar para melhor atende-lo. Para entender essa evolução, vamos retomar alguns fatos do passado. Ao longo dos anos 80 as agências de publicidade tinham um único objetivo, atingir de forma massiva as pessoas, quanto mais gente melhor. Essa publicidade acontecia em anúncios em revistas, TV, Spot de rádio, Outdoor, Jornal e outras mídias. Os consumidores dessa época eram apenas telespectadores, assistindo tudo que era imposto de maneira passiva.

Nos anos 90 com as inúmeras mudanças sociais, culturais, políticas e claro, tecnológicas o consumidor começa a abrir os olhos para essa relação desgastante e esperavam por algo novo que pudesse mudar a relação da comunicação empresa-consumidor. Aparece então a INTERNET. O consumidor passa a ter um certo “poder”, passa a ser ativo na comunicação. As empresas então começam a olhar para esse consumidor de forma diferente. Um consumidor que não vê o rosto e desconhece seus gostos, um consumidor totalmente diferente do que já tinha visto, com vontades e pensamentos específicos, em busca de produtos personalizados.

Esse novo consumidor que tem o poder de mover milhares de pessoas contra ou a favor da sua empresa com apenas uma frase de 140 caracteres. Adquirem o potencial de opinar sobre isso ou aquilo, compartilham, postam, comentam, são ágeis e consomem. Não tem medo do universo digital, cresceram nesse mercado e transformam-no a cada instante.

Agora, usando as ferramentas disponíveis hoje em dia na internet, Twitter, Facebook, Orkut, Site ou Blog, se expressam rapidamente e dependendo da velocidade, podem ser devastadores ou não para sua empresa em questão de horas. Ou seja, as Empresas devem hoje se preocupar em realizar relacionamento empresa-consumidor, entender o gosto e desejo desse consumidor, estar disponível porque hoje acontece o inverso, o consumidor busca a marca, onde e quando ele desejar. Em atingi-los da melhor maneira possível? Qual seria a melhor maneira de posicionar sua empresa nesse novo cenário? Quais as ferramentas que posso utilizar? Saberemos mais nos próxinos Artigos. Fique atualizado.

Marco Skita
Marco Skita
Web Designer e fundador deste Blog, formado pela Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo - SP, no curso de DESIGN DIGITAL. A mais de 15 anos me especializei em Website Corporativo atuando em várias frentes de trabalho em conjunto, Mídia Digital, Impressos e Marketing , trilhei o caminho da CRIAÇÃO e num segundo momento PRODUÇÃO e PROGRAMAÇÃO e também Assessoria para Mídia Social e Otimização de Site (SEO).