Os 10 mandamentos fundamentais do SEO

os-10-mandamentos-do-seo
Saiba quais são os 10 mandamentos fundamentais do SEO?

 

Dê um “empurrão” em seu site. Faça com que ele apareça em melhor posição em search engines, tais como Google, Bing e Yahoo!, por meio das principais técnicas de SEO, sigla em inglês para Otimização para Mecanismos de Buscas.

 Existem centenas de milhões de sites e blogs na internet. Achar uma página específica num universo dessa magnitude pode ser tão difícil quanto encontrar uma agulha em um palheiro. Mas diferentemente da agulha, que precisa contar praticamente apenas com a sorte de quem a procura para ser encontrada, um site pode receber um bom “empurrão” para ficar no topo do monte, e assim ganhar a maior visibilidade possível, destacando-se em meio à imensa oferta de caminhos da web.

 As formas para se atingir esse objetivo são muitas. Sites dedicados a estudar e discutir SEO listam centenas de ações que podem fazer com que determinadas palavras-chave digitadas em buscas levem determinado website às primeiras posições nas páginas de resultado da busca orgânica – excluídos, portanto, os resultados que apresentam links patrocinados, ou seja, que pagam para aparecer em local de destaque, em geral, logo no início da página ou também nas barras laterais.

 Mas é importante saber que todo o esforço técnico feito para aumentar a exposição de um site, da escolha de palavras-chave à construção do código-fonte, nada significa se o conteúdo disponibilizado não for relevante o suficiente para fazer com que a própria credibilidade da publicação possa mantê-la em boa posição.

 SEO pode trazer o público-alvo para a sua página, mas as pessoas só ficarão e interagirão com o conteúdo se o design e a comunicação de marketing da página fizerem a sua parte, caso contrário, o efeito é o abandono da página, gerando alta taxa de ‘bounce rate’.

 A otimização de landing pages é tão importante quanto o desenvolvimento da estratégia de SEO. A estratégia de SEO deve fazer parte de um contexto maior, que envolve os objetivos do negócio. Antes de qualquer ação de busca, é essencial determinar os seus objetivos, público-alvo e qual sua função na estratégia de marketing.

 

Vamos lá, vamos aos mandamentos…

 

1) CONTEÚDO

De nada adianta conseguir colocar um site em primeiro lugar na página de resultados do Google ou de qualquer mecanismo de buscas se, ao clicar no link, o visitante não encontrar de fato aquilo que procura. Por isso, antes mesmo de se preocupar com SEO, é necessário definir muito bem o conteúdo do site, de preferência mantendo sempre um assunto específico – por exemplo, um site sobre cinema não deveria apresentar informações sobre esporte ou culinária, já que não é isso que o público espera achar ali. Uma vez que o visitante encontra o que procura, ele provavelmente voltará, se tornará leitor fiel. Se for o caso de um site de vendas, a chance de uma compra ser concretizada é maior: ou seja, a taxa de conversão será maior se o conteúdo for relevante.

2) PÚBLICO-ALVO

Essa é uma regra que vale não apenas para ações de marketing de busca, mas para qualquer ação de marketing. Sem conhecer o que o público-alvo fala, o que deseja, como se comporta, onde faz suas buscas, como faz suas buscas, como é influenciado, etc., não se consegue traçar uma estratégia de SEO de sucesso. Se o conteúdo é o que atrai determinado público para um site, é fundamental conhecer esse público para criar conteúdos relevantes.

3) PALAVRAS-CHAVE

O bom uso das palavras-chave em todo o site – e em seu código – é a alma do SEO. É importante fazer pesquisas e estudos para saber usar as palavras certas. As keywords usadas nos títulos das páginas (title tags) são de suma importância, principalmente do ponto de vista dos robôs dos mecanismos de buscas. Títulos, principalmente com negritos e itálicos, e repetição das palavras-chave nos textos também são importantes, sempre observando que o bom senso vale mais que tudo – não vale sair repetindo a palavra por todo lado, o que prejudica a qualidade do conteúdo e tem efeito negativo sobre o leitor.

 O atributo alt nas imagens, o domínio do site e as URLs também podem e devem conter palavras-chave úteis. Apesar de haver controvérsia a respeito do assunto, é bom também fazer uma relação inteligente de palavras nas Meta-tags que descrevem cada página. Ferramentas como o Google Trends e o Google Adwords Keyword Tools podem ser muito úteis na hora de fazer estudos para a escolha de palavras-chave.

4) ANÁLISE DE DESEMPENHO

Acompanhar o progresso de seu site usando um programa de web analytics é uma ótima maneira de descobrir o melhor caminho a seguir. Por meio de ferramentas como essas, é possível descobrir de onde vem o tráfego para seu site, quais as palavras-chave que mais levaram pessoas até lá, como as pessoas que chegaram a seu site interagiram com ele e muito mais.

De posse desse tipo de informação, fica muito mais fácil repensar palavras-chave, definir linhas para o conteúdo das páginas, planejar toda a estrutura e promover melhorias.

Existem diversas opções de ferramentas, mas uma das mais populares é a gratuita Google Analytics (google.com/analytics). Desde o início do planejamento, devem ser estabelecidos os KPI (indicadores de performance) a serem mensurados para avaliar se os objetivos do plano estão sendo atingidos ou não. Como a busca é um processo contínuo, a mensuração também deve ser constante, estruturada e incluída nas atividades frequentes da equipe de marketing.

5) ATUALIZAÇÃO

Conselhos e dicas sobre SEO não faltam na web. Esse é um universo bastante dinâmico e, por isso, é muito importante ficar sempre atualizado sobre as novidades e saber como aplicá-las na prática. É bom ficar atento e acompanhar quem fornece bom conteúdo sobre o assunto – e, tanto quanto isso, não cair em dicas e fórmulas miraculosas que prometem otimização rápida e fácil. Ter boas fontes é imprescindível. Alguns dos melhores sites sobre SEO são o Search Engine Journal (www.searchenginejournal.com), o Search Engine Land (www.searchengineland.com), o SEOmoz (www.seomoz.org) e os brasileiros MestreSEO (www.mestreseo.com.br) e BrasilSEO (www.brasilseo.com.br). É necessário ter disciplina e estudar o tempo todo. Os buscadores mudam constantemente visando aumentar a relevância dos resultados para os usuários e o profissional de SEO tem que acompanhar de perto todas as mudanças nos processos de busca.

6) LINK BUILDING

Os links são o caminho pelo qual os robôs que vasculham a rede acham novos conteúdos. Em primeiro lugar, é interessante fazer uma boa linkagem dentro de seu próprio website, sempre atentando para a qualidade do conteúdo, e elaborar URLs que sejam amigáveis para estes links, além de cuidar do texto âncora em que eles vão aparecer. Construir uma rede de links externos a partir daí, apontada para seu site, é o desafio. Mais que a quantidade de links, o importante é a qualidade ou a relevância deles, ou seja, é importante que venham de sites que tenham reputação. É claro que, se o conteúdo oferecido for bom, aparecerão links, principalmente se as técnicas de SEO forem aplicadas e o site tiver exposição. Mas também é possível correr atrás destes links, participando de comunidades, blogs e fóruns que tratam do mesmo assunto, procurando parcerias – sempre tenha em mente que o ideal é ter links de sites de conteúdo relacionado. Mas cuidado: compra de links, assim como troca indiscriminada de links, pode ser ruim e essas práticas são passíveis de punição por parte dos mecanismos de buscas.

7) NAVEGABILIDADE

Quem chega a um site, principalmente aqueles que encontraram tal página via mecanismos de buscas, quer algo simples: encontrar o que procura. Por isso, a navegação dentro de um website é tanto melhor quanto mais simples for. Tudo precisa ser achado de maneira fácil, com leitura agradável e o conteúdo mais relevante possível. Isso vale tanto para pessoas quanto para os robôs dos mecanismos. Se os links estão bem dispostos nos textos, fica mais fácil encontrar o conteúdo para indexá-lo. E vale lembrar que os motores de busca não podem acessar links feitos em imagens, em animações como as feitas em Flash e nem dentro de Javascripts. Navegação plana e simples é a melhor indicação. Além disso, é bom evitar sempre a tentativa de enganar tanto robôs como pessoas. Não adianta nada, por exemplo, usar pornografia ou temas polêmicos para chamar tráfego e apresentar conteúdo que nada tem a ver com aquilo.

8) CÓDIGO-FONTE

Como já foi dito, quem vai vasculhar seu site para indexá-lo e colocá-lo no ranking nas páginas de resultados dos buscadores são robôs. Por isso, é bom deixar o código-fonte amigável para eles. Na prática, isso significa que o ideal é fazer a coisa da forma mais simples possível. Um código que seja fácil de entender para o robô dará mais chance para que a página ganhe relevância. Assim, usar CSS (Cascading Style Sheets), por exemplo, vai diminuir bastante a quantidade de páginas de formatação em HTML e vai “limpar” o código-fonte.

9) SITES DE BUSCA

Deve-se dizer ao Google, Yahoo! e Bing que seu site existe e que pode ser buscado por quem quiser. Apesar de existir a inscrição automática, é muito mais interessante – e pode poupar muito tempo – ir até as páginas de submissão destes mecanismos de buscas e inscrever suas páginas. Fazer isso não dá nenhuma garantia de que seu website vai aparecer melhor ranqueado nas páginas de resultado, mas facilitará o processo para que os robôs que fazem a varredura de conteúdo da web cheguem até elas. No Google, o endereço para isso é google.com/addurl/; no Yahoo!, é search. yahoo.com/info/submit.html; e, no MSN, http://search.msn.com.sg/docs/submit.aspx.

10) MAPA DO SITE

Elaborar uma boa página de mapa do site pode ser de extrema importância para ajudar os mecanismos de busca a encontrar cada uma das páginas existentes em seu site. Para isso, o ideal é que essa listagem tenha uma breve descrição de cada página, com palavras-chave muito bem escolhidas, e o link para elas. Se o site for muito grande, é bom fazer o site map de cada seção, bem detalhado, e deixar tudo bem disposto em uma página índice.

 

Gostou desse artigo? COMPARTILHE ou faça seu COMENTÁRIO abaixo. Até.

Marco Skita.

Marco Skita
Marco Skita
Web Designer e fundador deste Blog, formado pela Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo - SP, no curso de DESIGN DIGITAL. A mais de 15 anos me especializei em Website Corporativo atuando em várias frentes de trabalho em conjunto, Mídia Digital, Impressos e Marketing , trilhei o caminho da CRIAÇÃO e num segundo momento PRODUÇÃO e PROGRAMAÇÃO e também Assessoria para Mídia Social e Otimização de Site (SEO).